sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Corria dentro de si

O mundo lá fora diminuía. Ele sorria. E o mundo diminuía, quem sabe, por seus pensamentos estarem cada vez maiores. E a cada vez mais distantes. Esse mundo que habitava, passava a impressão de algo estrondosamente pequeno. Algo que não bastava, um lugar a que não pertencia. Sentado no alto de uma pedra, fitava o céu, podia ouvir o universo. O chamavam, para a retirada. Seria levado para fora, pois crescia rápido e a qualquer momento não caberia mais dentro do mundo. Outra galáxia? Estava quase tendo a certeza de que sim. 
Queria ficar ali sentado, esperando. Mas sabia que enquanto sendo habitante desse mundo, deveria fazer seu papel de humano. Algum dia, eles viriam para buscá-lo e ele voltaria para o lugar de onde veio. Não sabia como era, e o quão longe ficava, mas podia acreditar, em qualquer lugar dentro da sua imaginação


.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Promete não demorar?

Esperarei por você, o tempo que for, pela incredulidade de algum dia a ter novamente em meus braços. Um sentimento tão vago e tão cheio, que geram uma distorção, entram em conflito e só resultam em vastidão. Talvez encontra-se nesse emaranhado de dores e amores, pequenos fragmentos de sentimentos calcários, variando em tamanho de alguns metros até algumas dezenas de quilômetros. Um conjunto de coisas que você deixou em mim e de quando teve que partir. Rancor? Não tenho nenhum. Mágoa? Nenhuma. Apenas lembranças de nós dois, caminhando juntos pela areia da praia. Mãos dadas, almas que se cruzam...
Deixei você ir, deixei por você, deixei por mim. O tempo nada apagará, então deixei por nós! Tantas vidas cruzadas, tantas paixões. Mas essas, passageiras. O que temos, prevalecerá. Depois de algum tempo, e eu espero que seja logo, nos reencontraremos. E nos amaremos eternamente! 

Apesar de todas incertezas, esperarei por você até o fim. 




sábado, 23 de outubro de 2010

24 horas

É um vazio, como se uma importante parte de mim estivesse sendo levada para longe. E de certa forma, uma parte de mim esta. Todos dizem que eu não preciso de você, e eu digo, que todos eles estão errados! Não é por uma semana, não é por um mês. É só por um dia. Mas toda vez que vejo sua risada sendo apagada pelo vento, isso me destrói. Sinto-me uma pena, flutuando para o precipício. 
Naquela estação, parada olhando para o trem que se afasta, segundo por segundo. Fico a imaginar você, afastando-se como os outros. Como aqueles, fortes ou fracos, tanto faz, que não se limitam a olhar para trás. É só um dia, repito para mim mesma. Então, há possibilidade de nesse dia você conhecer pessoas novas. Vai lembrar de mim? Um dia, 24 horas sem você. Peço ao senhor do tempo, que por favor, faz esse tempo passar rápido. Preciso da minha menina aqui, mais uma vez. É necessário aquele olhar que me sustenta, é necessário aquela unica alma, para fazer meu dia mais feliz.



quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Meus olhos pesam, caídos. Minha cabeça dói, minha mente gira. Da minha boca não sai uma palavra, o ar não entra em meus pulmões. Pouco a pouco, a imagem some. Ficando branca, e de repente escura. Depois surge uma luz azul, no fundo. Meu corpo não mexe. Preciso de apoio, meus olhos viram, procuram, nada há. Aos poucos, isso vai se aprofundando, lentamente, até me vencer. E eu caio, em um abismo de sonhos profundos. Assim permaneço. Não acordo!

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Empty

Um sentimento vazio que perturba-me nesse comecinho de noite. Como se minha alma tivesse deslocado-se para algum lugar, distante. E agora minha mente não sabe mais me dizer quem sou, quem fui. Procurei por alguma pista, algo que me dissesse aonde estou. Meu corpo, vazio, espera doentio a minha volta. Então, quem sou, aqui e agora? Apenas uma coisa vazia, andando por aí vagamente, a procura do próprio eu. Tentando encontrar-se novamente, antes do fim. Aquele que se aproxima. Olhos vazios, passos que não levam a lugar algum. Silenciosamente, espera. Um dia há de se encontrar!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Mon amour

Eu a quero bem, mas se não puder estar bem agora, não se preocupe, eu também quero que tu expulse toda sua dor. E se precisar chorar agora, eu estou aqui. Eu a quero bem e quero que lave toda essa dor para fora. Eu vou estar aqui, para te abraçar e dizer que você precisa, mais que tudo, chorar. Eu vou estar aqui, para depois que isso passar, tentar colocar aquele seu lindo sorriso novamente em seu rosto, mas se não conseguir, tudo bem. Então eu vou te dar todo meu carinho, te colocar no meu colo te dar um beijo e te fazer dormir. E quando você acordar, tu vai me sentir ali, bem ao seu lado. Porque eu vou estar contigo, em todos os momentos, eu quero estar contigo, a minha vida inteira!
Minha linda, eu a amo.

Segundos...

Estava dormindo, um sono pesado, como se centenas de pedras estivessem à sua cabeça. Sonhos confusos e alucinatórios que passavam-se em sua mente fazendo-o se perder no mundo vasto  de seus sonhos, quando de repente o telefone toca, em um sobressalto ele atende:

-Alô!

Do outro lado da linha, uma voz cortada entre soluços - percebe-se- responde: 

-Minha vida esta um inferno!

Não sabia o que falar, reconhecerá a voz do seu amor, aquela que amara tanto e tornara-se dona de seu coração. 

-Não quer que eu...

-Não, não. Vou respirar um pouco. Eu amo muito você, ta?

-Eu amo muito você, fica bem...

Sem que ele pudesse dizer mais alguma palavra, o telefone fica mudo e o silêncio volta a assombrar o quarto. Querendo levantar-se e enxugar aquelas lágrimas, não encontra força, então permaneceu ali, imóvel. Virou-se para o outro lado, e pôs-se a dormir novamente. 




domingo, 17 de outubro de 2010

Para alguém que já partiu

E agora aqui, refletindo sobre todos meus erros e acertos. Passando uma vida toda na frente de meus olhos, eu paro para prestar atenção nos detalhes. Todas aquelas lembranças, todos aqueles marcos, atitudes de segundos que me mudaram. Eu só tinha você! E assim, estupidamente, você foi levada para longe de mim.
 É como se aquele cheiro de comida viesse da cozinha, e você chegasse para me consolar. É possível sentir seu abraço mais uma vez? Uma única vez? Eu ainda era jovem quando você me deixou. Tem dias que acordo assim, te querendo aqui. Olho para aquela esquina e cadê a sua casa, vovó? Aqueles homens a destruíram. Não me deixaram entrar lá uma ultima vez. Me tiraram do caminho, e levaram tudo o que era seu. Levaram o que era para ser meu. Tem dias que a sua falta torna-se incalculável. Então eu lembro de momentos, simples, únicos e particulares. 
Como nós duas sentadas na beira da mesa da cozinha, jogando baralho, o seu riso abafado ecoando pela casa. Todo aquele carinho que só a senhora me dava. Talvez não seja preciso repetir toda uma vida aqui, nesse momento. Eu e você, sabemos de todos os marcos. Eu e você! Momentos que ficam em minha memória, e toda vez que aquela história se repete, eu a desejo aqui. Não sei se algum dia voltarei a vê-la, e se eu tivesse um único pedido, seria de ter o seu abraço aqui, mais uma vez comigo... Esteja onde estiver, não esqueça de mim, e eu não me esquecerei de você. Aonde estiver, estarei esperando por você. Esperando pela sua busca, para me levar ao lugar onde encontrarei paz novamente. 
E aqui eu me desculpo por nunca ter dito o quanto amei você, e agora você se foi. Se eu pudesse voltar alguns anos atrás... Eu era criança, não sabia. Eu devia ter lhe dito. Então, aonde você estiver, saiba que eu amo você. De todo meu coração. Obrigada por tudo, minha querida avó! Mande lembranças para o vovô. Algum dia eu ainda voltarei a vê-los. Enquanto isso, eu prossigo, com seu sorriso me dando forças para seguir adiante. 



sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Viva mais, sorria mais

E é em um dia como esses, que eu olho para o lado e fico te desejando aqui. Hoje eu acordei de bom humor, eu ri mais, sorri mais, pensei demais na vida e em como nós vivemos ela. Percebi que atualmente as pessoas vivem estressadas, se queixando da vida, não tem tempo, as pessoas esquecem de sorrir. Eu olhei para mim mesma e todas aquelas coisas que eu fazia, fiquei até com vergonha das minhas crises "depressivas" e dos meus pulsos cortados. O sol veio e me mostrou o brilho da vida, de como a vida é bela sim, basta sabermos aproveitá-la. Eu repensei todos nossos erros, os erros de uma humanidade inteira, e resolvi mudar. Enquanto pensava em tudo isso, em como melhorar, eu olhei para baixo e avistei um papel aonde dizia "Vamos rir mais?". Foi como se aquilo tivesse sido programado para acontecer, e não tem igual a sensação de paz que eu senti. Paz com a vida, com o mundo, paz comigo mesma. Eu sorri para meu interior. Minha alma clareou, meu pensamento clareou, tudo ao meu redor criou cor. Eu lembrei de como você vivia frustrada, vivia reclamando, e atraindo pensamentos pessimistas. Então, se algum dia tu deixar, eu pretendo entrar na sua vida e clarear sua mente, clarear sua alma, clarear seu coração e te fazer sorrir mais para o mundo. Não leve a vida tão a sério, precisamos viver um pouco na boemia. Não espere mais nenhum minuto para viver de bem consigo mesma. E faça dos seus erros um aprendizado, não se torture tanto, ria mais de si mesma. E não leve nada tão a sério. Viva, e veja como a vida pode ser bela! Jogue seus braços para o alto, e sorria.


quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Alone..

Vinha vindo passeando, sozinha. A rua estava escura, embora houvessem luzes. Meu pensamento vinha pensando alto, como se outra vez falasse comigo mesma. Me deparei falando sozinha: "brincadeira", como forma de me dizer que aquilo não era real e eu só estava fingindo. Foi aí que a realidade caiu a toda força sobre meu corpo, e eu pude notar que aquilo era mesmo real. Eu estava sem ninguém. E aquele abraço, antes meu, estava agora a quilômetros de distância. Parecia que havia uma grande muralha sobre nós, impedindo de todas as formas que algum dia eu fosse te-lo -o abraço- novamente. 







E então eu prossegui, lentamente. Até que toda imagem se desfizesse e eu pudesse sorrir mais uma vez. Foi em vão. Não consegui sorrir.

Então eu me pergunto, por que realmente você esta aqui?

Sabe, você é difícil de entender. Mais do que eu imaginava. E olhar no fundo dos teus olhos é um perigo. Eles me prendem a ti, e isso é ainda mais perigoso. Eu passo o dia e a noite tentando chegar a uma conclusão, mas tudo o que eu consigo visualizar é o seu rosto, suas mãos, seus olhos, sua voz e eu lembro todas aquelas nossas palavras:

- Talvez esse tempo seja necessário para nós duas, e eu sei que você vai acabar repensando, espere para ver. Mas eu amarei você para sempre!

- Eu sei o que eu penso e você também sabe. Eu tenho certeza do que eu quero, e o que eu quero é você. Quando quiser voltar, eu estarei aqui. Estarei aqui sempre te esperando. Mas eu só quero que tu seja feliz, e tudo bem se não quiser voltar para mim.

-E quem disse que eu não quero?

Silêncio.

- Eu amo você!

- Eu também amo você.

- Meu coração é seu.

- Pra sempre!



Minhas lembranças são um pouco embaralhadas, você consegue me deixar tonta; eu não estou reclamando, só não estou conseguindo entender mesmo. E sabe, hoje no final da aula, eu não entendi aquele teu beijo.   
E mesmo meu coração sendo sensível demais e quebrando a cada passo teu, ele ainda bate por você! Eu cheguei a uma conclusão: não é preciso entender, apenas sentir. E eu quero que tu também sinta. E eu fico a acreditar que tu sente.
Eu amo você...      





terça-feira, 12 de outubro de 2010

Então, haverá esperanças para mim?

     Todo dia a mesma coisa. Você vem e diz que não me merece, que sou boa demais. Acontece que eu não sou nem um pouco boa. Mas você insiste nessa ideia e eu não consigo te fazer tirá-la da cabeça. E o meu medo é de que algum dia eu realmente venha a acreditar nisso.
      Você pediu um tempo, eu te dei esse tempo. Eu respeitei. Poderia então, por favor, parar de ficar me dizendo tantas coisas? Isso me machuca. Machuca saber que você pensa não ser boa para mim. Você é tudo o que eu mais quero! Eu não consigo imaginar meu futuro sem você ao meu lado, e a cada vez que tu diz isso, mais borrado meu futuro aparece perante aos olhos do meu coração. 
     Você diz me fazer mal. Você acredita que eu seria mais feliz com outra. Mas acontece que aqui só tem lugar para você. Você me fala tantas coisas irreais...

      E sabe qual é o pior de tudo? É não saber se depois disso eu vou querer algum dia voltar. Esse é o meu maior medo! 
     Você foi boa demais para mim.

De que adianta eu dizer que não, se meu coração te quer de todas as formas possíveis?

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

E eu só pedia, que os dias passassem...

Então eu deixei. Deixei que as folhas caíssem lá fora. Deixei que tudo caísse. Deixei que meu mundo despencasse, eu deixei que os dias passassem e que o sol brilhasse. Deixei que a chuva viesse e que o vento forte arrancasse algumas raízes. Deixei que o chão caísse, me deixei flutuar perante todo esse desastre. Eu deixei tudo. Deixei que o mar engolisse a praia, deixei que dunas se formassem nesse deserto. Eu deixei, embora não fosse eu quem pudesse deixar tudo. Eu deixei. E aqui eu me deixo. Me deixo para ver como passarão os próximos dias. No fim de tudo isso, quem sabe, então, eu lhe conto minha passagem pelo mundo!

Na calada da noite ela se sentia só. O ar estava pesado, denso demais. E o mundo estava ocupado demais para ver as marcas no rosto dela. E ela sabia, deveria prosseguir eternamente sozinha.

domingo, 10 de outubro de 2010

Embriagada por você!

      Se me perde-se no calor do teu olhar, deixar-me entregar ao sabor dos teus beijos e ao aconchego que encontro em cada abraço. Ser invadida pelo som abafado do seu riso, o lacrimejar dos seus olhos. O toque suave da sua pele na minha, nossas trocas de carícias. Ah, como pesa. Isso tudo, preciso fazer um esforço enorme para carregar aqui comigo, esse amor que me domina. Preenche cuidadosamente cada canto do coração, posso até achar que sai junto com meu sangue pulsante invadindo as paredes das minhas veias, tomando espaço de todo meu corpo fazendo-me tremer.

     Isso é você dentro de mim, é você invadindo cada poro, cada célula, tornando-me um ser dominado pelo amor vicioso. Como cancêr, fazendo-me morrer por você. Querer você e não ter você. Vivendo, com pouco de mim e muito de ti.



Woman

     Garota da noite com seu charme sedutor. Garota da noite, invade meu pensamento, seu corpo todo escultural! Garota, você esta longe de ser normal. Sua pele de gelo, seus olhos de vidro, toque suave de cereja em seus lábios. Passa por mim fazendo-me mal, eu me controlo. Garota, isso não é normal. Toda sua beleza, sobrenatural. 


     Garota, quem é você?


sábado, 9 de outubro de 2010

Happy Birthday, Sir. John Winston Lennon!

Hoje nosso querido John Lennon completaria 70 anos. Então deixo aqui meus Parabéns a ele. Peace and love! 
 ♥
     Eu tinha medo. Eu não poderia contar a ela. Eu só queria ela aqui, comigo, me entende? Talvez fosse pedir demais... Eu não conseguia deixar de pensar "ou não" quando ela falava "temos a vida inteira". Eu só queria que ela passasse um pouco mais tempo comigo. O meu futuro nunca foi tão vazio assim... porque eu não estava nele. Eu sabia, mas eu não poderia lhe dizer. Gritava em silêncio, para não me abandonar. Tinha medo quando você saia e me deixava aqui, tinha mais medo ainda quando tu dizia que não sabia se por hoje voltaria. Mas eu não tinha como te dizer, estou morrendo, quero você aqui comigo. Passe um tempo comigo. O medo tomava conta de mim, o medo preenchia minha solidão, o medo secava minhas lágrimas, quando era você quem deveria estar no lugar do meu medo. Mas por favor, acredite, eu não lhe culpo. Só realmente queria você aqui... mas tu tinha teus compromissos. Tu nem imaginava o que se passava aqui. Só queria que você me salvasse. 
     Mas ainda da tempo, todos os verbos do passado na verdade estão no presente. E o pior de tudo, é olhar para o lado e não te ver aqui. Eu entendo, eu posso entender, você tem muitas coisas para fazer. Mas por favor, só tenho um pedido: fique aqui comigo, até o fim! E nunca esqueça de mim, você sempre será o meu grande amor... 


Depois, deu um suspiro e morreu... na certeza de algum dia encontrar seu grande amor. Mais uma vez!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Partiu e me esqueceu

Lá fora a chuva cresce, lavando toda minha dor. Faz somente um dia desde que você me deixou - eu sabia antecipadamente que isso aconteceria - mas tu já me faz uma falta imensa. Eu disse para mim mesmo "seja forte, prossiga" mas acontece que eu cansei desse orgulho, então resolvi admitir. Eu sinto sua falta o tempo todo, sempre senti, e sempre a escondi. Então a chuva lá fora diminuía de intensidade como se me dissesse que esse tormento aqui de dentro passaria. Pois justamente. Passou. Passou, mas só o tormento. Agora esse lugar oco, que antes ficava meu coração - que deixei com você- esta tomado por uma intensa saudade de corroer cada milímetro do meu corpo fazendo-me ficar aqui, parado, contemplando o tempo perfeito e ansiando por um próximo abraço teu. Olhei mais uma vez pela janela, as nuvens, todas elas, passaram. Raios de sol estão cobrindo minha visão e eu tento te encontrar, mas desapareceu junto com elas... Desapareceu e me deixou aqui. Esqueceu de devolver meu coração, melhor assim. Deixo-te com ele. Meu coração sempre te pertenceu desde o dia em que vi aquele brilho do teu olhar a me seguir enquanto eu voltava pelo caminho de casa. E tudo o que eu queria agora, era te ter novamente em meus braços. Olhando para mim. Ou talvez por perto. Aqui, somente te queria aqui! 

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Necessito ficar só

     E ao meu redor tudo parece vazio. Sem vida. De que adianta casas luxuosas, móveis luxuosos, ou talvez nem tão luxuosos assim, mas móveis. De que adianta, se você se encontra perdido em um quarto que era para ser seu refúgio mas de repente se transforma em um lugar seco e obscuro. Ao redor, tudo perdeu sua vida. Flores murcharam, as samambaias morreram! Só restou o tronco das árvores. Para onde voaram todas aquelas folhas? Aonde que a vida se escondeu? Me sinto dentro de uma brincadeira, esconde-esconde, e quem deve rebater sou eu. 
     Quando você olha ao redor, e se sente só. Preciso da natureza. Urgente! Estou derretendo nesse inferno de obscuridades, preciso de salvação. Ou talvez o que eu precise seja apenas de um lugar novo, uma casa nova, pessoas novas. É, acho que só preciso de um mundo novo! 

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Doce sonho

E esse sentimento incerto que assola minha mente, essa vontade de sugar todo o sangue para dentro, assim, repetidamente. Pedir esmolas, estou em falta de concentração e aceitação. Minha mente gira ao redor daquilo que deixei passar, um sonho que parece estar longe agora, perdido em qualquer lugar desse interior. Palavras, abraços, nada me consolará. Como se tudo na vida fosse uma areia, você pega nas mãos, fecha bem apertado mas ainda assim ela vai sumindo, sumindo, escapando... quando você abre a mão e olha que já não restou mais nada!? Então me diga você, qual a razão de querer ter aquilo que sempre escapará, deixando-te todo aberto a amostra ao vento! E como não resistir? Afinal, são sonhos. Ah, quem dera se deixassem de sersonhos...

E esse sentimento tão grande e profundo, ainda não venceu meus pés dançantes.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010


Então corria, rapidamente, como se o tempo pudesse pegá-la. Chovia forte e seus longos cabelos crespos grudavam em seu rosto de menina. Vestia saia longa e botas pretas, se você olhasse bem perceberia que as botas poderiam ser duas vezes maiores que o numero ideal, ou então pensaria "que pés grandes", então seu pensamento abafaria pelo som estrondoso do choque do caminhão e o grito da menina. 

[...]


domingo, 3 de outubro de 2010

S.O.S



Só tente chegar vivo até o outro lado... Ou então afunde! 
Ou você luta contra a maré correndo riscos até de tubarões, ou então... ficará perdido para sempre e sozinho. Parece-me triste demais acabar assim... 

Somos

"Um amor tão forte que enquanto estivermos juntos
eu vou deixar o mundo de lado
até o nosso coração se transformar na única coisa que eu tenho certeza" 
Como o sol e a lua, o mundo não nos quer juntos. Mas vou lutar por você até o fim e mostrar que nosso amor é maior.

Não, eu não vou deixar que eles destruam o que construímos, mas tu também tem que me ajudar. Lembra-se: precisamos nos unir, cada vez mais. Não quero dar o gostinho de vitória a todos eles. Não vamos deixar que consigam. Não vamos fazer a vontade dessa gente, não vamos nos separar por culpa deles. Eu fechei os meus ouvidos, agora falta você também fechar os seus, para todas aquelas coisas. Eu fechei a porta na cara deles, agora no meu mundo só tem espaço para você. Vem aqui, fica aqui comigo.
 

sábado, 2 de outubro de 2010

Nunca ofenda deficiente visual



 Cegos enxergam mais do que você. Cegos enxergam com o coração e possuem os olhos da alma. Enquanto você, ignorante, não ultrapassa as fronteiras do próprio mundinho

Incrédulo amor

     São 06:10 minutos.Pensamentos atordoados assediam uma mente ignorando o acesso ao sono. Ele tenta, luta contra eles, de nada adianta. O dia irá clarear lá fora dentro de alguns instantes e visualiza o lençol desprendido do colchão, o buraco feito do travesseiro e as manchas pretas no teto. Discos de Vinil espalhados ao lado da cama e um vidro de champagne vazio em cima da escrivaninha. A noite anterior fora de completo exaustão.
     Estava ele ouvindo Beethoven enquanto escrevia cartas de amor a sua amada, que o abandonara em uma noite fria e tempestiva a caminho do avião que a levaria embora para sempre. Inglaterra. Recorda-se como se estivesse ocorrido hoje. Ela deixará-o um bilhete pedindo que a esperasse na estação de trem no momento em que sairia do serviço sem saber o terror que o esperava. Desembarcou com suas malas feitas, dizia ter somente meia hora e explicou-lhe a oferta que lhe fora oferecida no exterior. Estava deixando-o. Ele, perplexo, ouvia a todo silêncio. "Não pedirei licença de partir, eu o amo, mas minha vida toda esta lá fora.", recorda-se de cada palavra. Então com um beijo, em um ultimo adeus, a viu embarcar num táxi e partir para o avião, aquele avião que levaria sua amada para longe.
     Então, a campainha tocou. Olhou no olho mágico, não acreditou no que viu. Lá estava Florence, uma ex paixão. Uma daquelas paixões de arder que acaba logo nos primeiros meses. Mais um toque da campainha,  impaciente. Caminhou até a escrivaninha, pegou as chaves que estavam ao lado da carta, abriu a porta. Florence, como estava bonita. Os cabelos, antes negros e enrolados, agora lisos e ruivos. Vestia uma blusa vermelha decotada, uma mini saia e sapatos altos. Pode-se notar que havia bebido, e trazia uma garrafa de champagne na mão. Perturbado, convidou-a a entrar. Bebeu grandes goles de champagne enquanto conversavam, ela com a fala enrolada, e aos poucos a garrafa esvaziava.
     Estava ele evasivo demais para fazer alguma coisa enquanto aquela mulher, sua ex paixão, jogava-se aos seus braços. Beijava-a sem tirar os pensamentos de sua amada, Cristalline. Por alguns momentos chegou a achar que estava vendo miragens de que era sua amada ali, aos alcances dos seus braços esperando para ser amada. Sentia-se muito confuso e não conseguia raciocinar direito.
     Acordou algumas horas depois, com aquela estranha (preferiu referir-se assim) vestindo-se para ir embora. Fechou os olhos, ouviu o barulho do abrir e depois fechar de porta. Ali permaneceu, calado, inseguro.
Depois de várias tentativas de dormir, levantou-se e dirigiu-se a sua escrivaninha. Pegou a carta inacabada, acrescentou apenas umas três ou quatro palavras e então guardou-a no bolso do jeans preto que vestia. Saiu madrugada a fora, raios de sol batiam em seu rosto manchado. E ali estava aquele homem, passando pela rua 30 em direção ao correio. Passou com marcas de lágrimas, e então fora.