segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Filosofando

     Quando nos apaixonamos, nos encontramos em um papél de meros animais que além das palavras, procuram consquistar o outro atravéz de ações. Como os pássaros machos usufruem da dança para conquistar as fêmeas, nós seres humanos usufruímos de diversas ações. Muitas vezes vemos no outro como um pedaço de nós mesmos. É algo como almas que se reconhecem e se interligam.
     Simples gestos como tocar no rosto, dar as mãos, colher uma flor, e tantas outras, estão ligadas ao nosso coração. Quando nos apaixonamos procuramos dar o melhor de nós mesmos para o outro, mudamos nosso jeito. Se torna diferencial do modo como tratamos amigos, e passam para o lado sentimental, emocional. Ou seja, nossas ações falam pelo nosso coração.
     A maneira como olhamos, como tocamos, mudam a partir de quando nos apaixonamos. Cada beijo se torna especial, cada olhar se torna doce. Há a presença de carinho, amor, ternura. Os braços se tornam pequenos para cada abraço. Procuramos ser perfeitos, mesmo quando sabemos que essa perfeição não existe. Mas se apaixonar é isso. É querer dar o melhor de si, é procurar o melhor do outro. São apenas dois corações que se encontram. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário