segunda-feira, 4 de abril de 2011

Um rastro no mundo

Sou um borrão esquecido, perdido entre as profundezas da Terra. Meu ser caminha a mim mesmo com passos desconhecidos - sou uma estranha perante a mim mesma. Vivi enormes histórias, e no entanto, não lembro mais de alguma. Minha memória foi perdendo-se com o tempo, meus rastros foram ficando para trás, a selva em meu coração, devastada escapou junto com mãos gigantes, retirando pouco a pouco o pouco que me tinha. Giro em uma órbita desorientada, mudando o rumo a cada segundo. Continuo a viver procurando minhas partes esquecidas e outras inventadas. Procuro recomeçar mas não posso fugir desse ímã que me puxa novamente para baixo. Minha realidade mistura-se com fantasias fictícias. Dizer quem sou é perigoso. Para mim e para você. Sou um borrão cumprindo o seu destino, rastejando entre a relva procurando o fim de mim mesma. Mas eu desisti dessa luta pela procura de descobrir o que sou. Contento-me com a vida que passa, envelhecendo a cada minuto. Tudo é um mistério para mim!


Desisti de me esquivar de ser o que sou: um borrão indecifrável!

2 comentários:

  1. Tá falando de mim ou de ti?
    Hê, me identifico sempre, e gosto muito de ler o que tu escreve.
    Beijo Laís, boa semana pra ti (:

    ResponderExcluir
  2. Ótimo blog, passarei sempre por aqui

    ResponderExcluir