sábado, 7 de maio de 2011

Com o frio, o gelo

De repente, um nó na garganta. Uma sensação de estar tudo se repetindo, outra e outra vez. Uma vontade de querer chorar o mundo todo para fora. Querer acabar, aos poucos, com tudo o que lhe afligia. As mãos tremiam, a voz não saia, e ela tinha medo. Medo de que as coisas voltassem a ser horríveis como eram. Os dias iam passando e ela percebendo, estava ficando louca mais uma vez. Estava ficando brava com as pessoas, brava com o mundo, tornando-se seca e ignorante. Embora por dentro houvesse amor. Seu sangue fervia, seu coração apertava e seus olhos espremiam-se numa tentativa de expulsar as lágrimas. Apesar de ter todos ao seu redor, sentia-se cada vez mais sozinha. Eu me sentia cada vez mais sozinha. Ela sendo meu contraposto, eu sendo ela. E nós duas -vivendo uma na outra- tornando-nos de pedra. Esperando novamente pelo fogo, destruir o gelo dentro de nós mesmas. Acabar com as nuvens negras acima de nossa mente. Tudo voltou, e cadê o amor? Eu espero ele voltar. Espero poder enxergar novamente as cores. Quem sabe andando por aí a gente não encontra o que nos falta. Então eu continuo, vivendo no mais terrível abismo que é nós mesmos. 


Esperando a volta das flores! 


3 comentários:

  1. Elas voltam! nem tudo volta, mas as flores voltam a nascer, assim como o amor volta a acontecer. Basta acreditar e saber ter paciência para fazê-lo crescer.

    ResponderExcluir
  2. Ai que triste o texto :/
    Mas achei muito lindo, já me senti assim muitas vezes.
    Adorei seu blog *-*

    ResponderExcluir
  3. Espero muito que eu encontre o que me falta. :/
    Lindo o texto, gostei do blog e to seguindo =) Beijosss

    ResponderExcluir